Skip to content
Infraestrutura de TI: 5 erros comuns que prejudicam a operação

Confira 5 erros comuns em Infraestrutura de TI que podem afetar a sua operação

Alguns erros bastante comuns podem fazer com que a sua infraestrutura de TI seja muito prejudicada. Por isso, é importante estar atento às irregularidades para que elas sejam resolvidas o quanto antes. Dessa forma, evita-se que haja prejuízos maiores ou irreversíveis.

Essas falhas constantes no setor de tecnologia da informação geram problemas como: queda de desempenho, falhas de segurança, diminuição da produtividade e interrupção das atividades.

Com isso em mente, os gestores devem saber quais erros são frequentemente cometidos em relação à infraestrutura de TI e trabalhar para que eles não aconteçam.

 

5 erros que podem prejudicar sua infraestrutura de TI

 

1. Falta de gerenciamento dos ativos de rede

É por meio da gestão de ativos de rede que a equipe de TI irá monitorar o desempenho de equipamentos, como switches, roteadores, access points e controladoras, firewall e outros. Com essa gestão é possível identificar falhas com mais rapidez, promover upgrades e atualizações e melhorar a performance.

Logo, se não houver um gerenciamento desses ativos a empresa torna-se mais suscetível a falhas na comunicação, comprometendo toda a operação e segurança.

 

2. Ausência de planejamento

É importante que a infraestrutura de TI seja planejada de acordo com as necessidades da empresa e pensando também nos projetos futuros.

Sendo assim, quando não há um planejamento, é possível acontecer de a empresa se comprometer com uma expansão dos serviços que não consegue suprir com a atual rede, o que irá prejudicar o atendimento inclusive aos clientes atuais.

 

3. Falta de comunicação interna

Para que a infraestrutura de TI seja segura e eficiente, é necessário que o departamento de TI tenha autonomia para operar e seja integrado às demais áreas da empresa.

A infraestrutura de TI também é prejudicada quando não há difusão das políticas de segurança da empresa e também normas de uso da rede.

 

4. Não usar ativos modernos

Muitas vezes, por não dispor de um grande caixa, às empresas mantêm seus ativos de rede antigos, acontece que esses componentes aumentam as vulnerabilidades a ciberataques por ter falhas já conhecidas na comunidade.

Porém, a modernização de ativos pode ser feita sem demandar uma quantidade alta de investimento, por meio do outsourcing e com o aluguel de equipamentos de acordo com as necessidades da empresa.

 

5. Não ter o parque tecnológico atualizado

O parque tecnológico da empresa é o local onde ficam todos os ativos de rede, ou seja, tanto hardwares quanto softwares e a atualização periódica dele é indispensável para uma infraestrutura de TI segura, eficiente e confiável. 

Os hardwares precisam ser modernizados para suprir as necessidades da organização e minimizar vulnerabilidades. Os softwares também devem passar por atualizações periódicas para superar as ameaças identificadas.

 

Como vimos, são simples as ações que devem ser tomadas para que a infraestrutura de TI não seja prejudicada. Mas, apesar disso, muitas vezes elas são esquecidas ou deixadas de lado. Fale com nosso time de especialistas e tire suas dúvidas sobre Infraestrutura de TI e saiba como podemos te ajudar.

Continue sua leitura!

Além do hype: Explorando o impacto real da IA

Além do hype: Explorando o impacto real da IA

A inteligência artificial (IA) se tornou um termo presente desde artigos científicos até conversas casuais. Mas o deslumbramento em torno desse assunto encobre a realidade prática da tecnologia e os…
Descubra o framework ideal para o seu projeto

Descubra o framework ideal para o seu projeto

Construir um projeto pode ser comparado à construção de uma casa. Assim como um bom pedreiro precisa de ferramentas adequadas para erguer uma estrutura sólida e segura, o sucesso do…
Otimização de Banco de Dados

Otimização de Banco de Dados

Bancos de dados são essenciais para o funcionamento de qualquer sistema ou aplicação que armazene e manipule dados. No entanto, mesmo os bancos de dados mais bem projetados podem apresentar…

Planejamento

O planejamento do sprint é um evento no scrum que inicia o sprint.

O objetivo desse planejamento é definir o que pode ser entregue no sprint e como esse trabalho vai ser alcançado.

O planejamento do sprint é feito em colaboração com toda a equipe Scrum.

Desenvolvimento

Desenvolvemos seu projeto em seu ambiente ou em nossas instalações, com profissionais sob sua gestão, sob a nossa, ou compartilhada, com o uso do Outsourcing.

Todo o acompanhamento ocorre a partir de metodologias, frameworks e ferramentas de gestão participativa no desenvolvimento da solução.

A partir deste processo, temos a versão Beta para testes.

Nesta etapa, realizamos a documentação das soluções, inclusive as já existentes.

As entregas são sempre acompanhadas de descritivos funcionais e técnicos, possibilitando a compreensão da solução e sua divulgação.

Homologação

Nossos analistas de qualidade agregam valor final à sua solução, garantindo a superação do resultado esperado.

Produzimos roteiros e evidências de testes que auxiliam no processo de validação do cliente.

É na etapa da homologação, que ocorre a comprovação, pelo cliente e demais partes interessadas, de que o produto resultante do projeto de software atende aos critérios exigidos.

Revisão

Nessa etapa lidaremos com a Sprint Review.

Ou seja, validaremos as entregas da equipe e verificaremos se os critérios estabelecidos no planejamento foram executados.

É o momento de coletar os feedbacks do que a equipe construiu.

Em outras palavras, essa etapa pode ser entendida como uma conversa entre a equipe e as partes interessadas sobre como melhorar o produto.

No fim de cada Sprint, o time se reúne para falar sobre o processo.

Retrospectiva

A etapa de retrospectiva é como um ritual de avaliação do Sprint que acabou de se encerrar.

Nessa reunião, o Time Scrum considera o que foi bom e o que deve ser melhorado, traçando planos de ações em busca da melhoria contínua do processo.