Skip to content
O que é SGBD e porquê utilizar na sua empresa.

SGBD: por que utilizar em meu banco de dados.

O Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD), ou Data Base Management System, são um conjunto de softwares utilizados para o gerenciamento de uma base de dados. 

Eles têm como principal objetivo gerenciar as bases de dados utilizadas por aplicações, sendo responsáveis por controlar, acessar, organizar e proteger as informações de uma aplicação.

 

Principais tipos de SGBD

 

Relacionais

O SGBD do tipo relacional são bancos de dados que modelam os dados no formato de tabelas, que podem se relacionar entre si. Cada uma dessas tabelas podem possuir diversos atributos, com diversos tipos de dados.

 

Não-relacionais (NoSQL)

NoSQL ou Not Only SQL, é o termo utilizado para os bancos de dados não relacionais de alto desempenho. Nesses casos, geralmente, o SQL não é utilizado como linguagem de consulta. 

Estes bancos utilizam diversos modelos de dados, incluindo documentos, gráficos, chaves-valor e colunares. Os bancos de dados não-relacionais são amplamente reconhecidos pela facilidade em seu desenvolvimento, desempenho escalável, alta disponibilidade e resiliência.

 

Função de um SGBD

Segurança

O SGBD cria um sistema de segurança que irá proteger a base de dados de acessos não autorizados.

Ao utilizar um SGBD, são impostas regras que definem quais os utilizadores que podem ter acesso à base de dados, e dentro dos utilizadores autorizados a que ficheiros podem aceder e que tipos de operações podem efetuar.

Existem ainda procedimentos que permitem efetuar cópias de segurança e recuperação de dados em caso de falhas.

 

Segurança física e lógica.

Os dados e informações não podem estar ao alcance de pessoas não autorizadas, ou seja, tem de estar bem guardada. Com o uso do SGBD elas podem ser protegidas através de métodos lógicos de segurança, como por passwords.

 

Integridade

O SGBD assegura a verificação das restrições de integridade mantendo os dados válidos, diminuindo a redundância e maximizando a consistência dos dados.

Outro fator importante ao utilizar o SGBD é a gestão de transações, que é um aspecto muito importante da manutenção da integridade de dados.

Sendo assim, caso uma transação seja interrompida antes da hora, seja por falha de energia, problemas no disco ou outros, o sistema terá de evitar um estado de inconsistência, acionando o rollback, que é um mecanismo que desfaz o que foi feito até à altura do problema e devolve a base de dados ao seu estado de consistência.

 

Os principais SGBDs relacionais do mercado

Podemos dizer que tudo que fazemos em um banco de dados passa pelo SGBD.

Já que ele é o responsável por salvar os dados no HD, manter em memória os dados mais acessados, ligar dados e metadados, disponibilizar uma interface para programas e usuários externos, encriptar dados, controlar acessos e etc. 

É bastante comum as pessoas chamarem um SGBD de banco de dados, por exemplo: banco de dados Oracle, banco de dados MySQL, banco de dados SQL Server, entre outros.

Mas, na verdade, eles não são bancos de dados, e sim SGBDs. Cada um implementa um banco de dados (ou vários) de uma maneira diferente, mas para o usuário isso é quase transparente, pois a linguagem de acesso aos dados é a mesma, o SQL.

 

Afinal, qual SGBD utilizar em meu projeto?

Na hora de decidir qual SGBD utilizar em um projeto, é preciso:

  • Analisar as principais características de cada SGBD;
  • Conhecer o seu negócio e saber quais as necessidades que o SGBD deve suprir;
  • Se existem profissionais especialistas em um determinado SGBD que irão trabalhar no projeto;
  • Analisar os custos do projeto, entre outros.

 

Mas, com tantas opções no mercado, é comum ficar em dúvida sobre qual é a melhor opção para o seu projeto. Por isso, a A.R.Phoenix possui especialistas que podem te ajudar nessa missão. Entre em contato com nosso time e tire suas dúvidas.

Continue sua leitura!

Além do hype: Explorando o impacto real da IA

Além do hype: Explorando o impacto real da IA

A inteligência artificial (IA) se tornou um termo presente desde artigos científicos até conversas casuais. Mas o deslumbramento em torno desse assunto encobre a realidade prática da tecnologia e os…
Descubra o framework ideal para o seu projeto

Descubra o framework ideal para o seu projeto

Construir um projeto pode ser comparado à construção de uma casa. Assim como um bom pedreiro precisa de ferramentas adequadas para erguer uma estrutura sólida e segura, o sucesso do…
Otimização de Banco de Dados

Otimização de Banco de Dados

Bancos de dados são essenciais para o funcionamento de qualquer sistema ou aplicação que armazene e manipule dados. No entanto, mesmo os bancos de dados mais bem projetados podem apresentar…

Planejamento

O planejamento do sprint é um evento no scrum que inicia o sprint.

O objetivo desse planejamento é definir o que pode ser entregue no sprint e como esse trabalho vai ser alcançado.

O planejamento do sprint é feito em colaboração com toda a equipe Scrum.

Desenvolvimento

Desenvolvemos seu projeto em seu ambiente ou em nossas instalações, com profissionais sob sua gestão, sob a nossa, ou compartilhada, com o uso do Outsourcing.

Todo o acompanhamento ocorre a partir de metodologias, frameworks e ferramentas de gestão participativa no desenvolvimento da solução.

A partir deste processo, temos a versão Beta para testes.

Nesta etapa, realizamos a documentação das soluções, inclusive as já existentes.

As entregas são sempre acompanhadas de descritivos funcionais e técnicos, possibilitando a compreensão da solução e sua divulgação.

Homologação

Nossos analistas de qualidade agregam valor final à sua solução, garantindo a superação do resultado esperado.

Produzimos roteiros e evidências de testes que auxiliam no processo de validação do cliente.

É na etapa da homologação, que ocorre a comprovação, pelo cliente e demais partes interessadas, de que o produto resultante do projeto de software atende aos critérios exigidos.

Revisão

Nessa etapa lidaremos com a Sprint Review.

Ou seja, validaremos as entregas da equipe e verificaremos se os critérios estabelecidos no planejamento foram executados.

É o momento de coletar os feedbacks do que a equipe construiu.

Em outras palavras, essa etapa pode ser entendida como uma conversa entre a equipe e as partes interessadas sobre como melhorar o produto.

No fim de cada Sprint, o time se reúne para falar sobre o processo.

Retrospectiva

A etapa de retrospectiva é como um ritual de avaliação do Sprint que acabou de se encerrar.

Nessa reunião, o Time Scrum considera o que foi bom e o que deve ser melhorado, traçando planos de ações em busca da melhoria contínua do processo.